Actions

Work Header

Crusade: Livro 1 - Os 4 Cavaleiros do Apocalipse

Chapter Text

Chegou o dia de Elliot ingressar na Academia de Crusaders, mas antes ele precisa da autorização da atual Comandante do Centro de Comando, General de Combate Joanne Harlington. Ao chegar Kira parou seu carro sedã em sua vaga dentro da garagem interna do edifício central. Elliot e Kira caminharam até a entrada que conecta as garagens internas e o edifício central, como era a sua primeira vez lá ele precisou registrar suas credenciais para poder visitar e andar pelo complexo do Centro de Comando. A arquitetura do lugar era algo a se admirar, antes de pisar lá dentro Elliot havia apenas visto a estrutura do Centro de Comando por meio de fotos na internet.

– Bom dia senhor essa é a sua primeira vez aqui? – perguntou a recepcionista do primeiro nível subsolo.

– É sim – respondeu Kira rapidamente – Ele nunca veio aqui antes e vai precisar de uma credencial de visitante, Elliot, por favor – disse Kira virando a cabeça em sua direção. Elliot pegou os documentos necessários e os entregou para a recepcionista. Ela fez o cadastro de visitante de Elliot e entregou sua credencial de visitante. – Agora podemos ir. Em toda a sua vida Elliot nunca havia visto tantos Crusaders juntos em um só lugar, em qualquer direção que ele olhasse haviam Crusaders das mais diversas patentes usando seus respectivos uniformes. Alguns deles usando trajes sociais, outros usando seus trajes pra batalha e missões em campo. Indo em direção ao elevador Elliot se perdeu na vista que o Centro de Comando proporcionava, os raios de sol matinais entrando pelas imensas janelas de vidro, e a cor quente e aconchegante que essa visão proporcionava. Ao aproximar-se do elevador principal assustou-se quando viu uma mulher praticamente igual a Kira, porém com o cabelo um pouco mais curto e mais claro. Ele também observou que ela tinha uma cicatriz em sua bochecha.

– Kira ela é muito parecida com você, por acaso ela é...

– Sim Elliot, ela é minha irmã gêmea – interrompeu Kira. A medida que Kara se aproximou o sorriso entre as duas aumentou. Elliot também notou uma jovem que aparentava ter sua idade andando ao lado de Kara. Ela usava um corte channel e tinha um cabelo loiro bem claro, alguns diriam que ela se parecia com uma princesa russa, outros apenas a veriam como uma estudante de direito, rica e arrogante.

– Não esperava te ver tão cedo aqui, como foi de viagem? – perguntou Kara. Assim que elas se aproximaram uma da outra elas se abraçaram e voltaram seus olhares para seus respectivos acompanhantes. – E quem é esse jovem?

– O nome dele é Elliot, ele foi escolhido pelo Yang enquanto eu estava em Nova York. E quem é essa? – perguntou Kira olhando na direção de Emma.

– Essa é Emma estudante de direito da Universidade de Maryland, eu estava assistindo uma corrida dela justamente quando o Yin escolheu ela como sucessora. – ao terminar de apresentar Emma, ela deu um passo para frente e cumprimentou Kira estendendo o braço e oferecendo um gentil aperto de mão.

– Prazer me chamo Emma Ivanov, você deve ser Kira Steelheart irmã gêmea de Kara. É ótimo finalmente poder conhecê-la. – Kira retribuiu o aperto de mão e trocou beijos no rosto com Emma. Então Emma virou-se para Elliot para cumprimentá-lo, mas algo no semblante dele não a agradava. Elliot não era o tipo de homem que ela enxergava com bons olhos, ele passava um ar de insegurança e fragilidade. Por mais que ele tenha dado um aperto de mão firme ele estava com uma postura "recuada" cumprimentando Emma pela primeira vez. Ao Emma se inclinar para dar beijos no rosto de Elliot ele hesitou um pouco antes de se aproximar para retribuir. – Prazer Elliot, fico feliz em te conhecer.

– Igualmente Emma – retribuiu Elliot. Ele não sentiu tanta firmeza no cumprimento de Emma como da forma que ela cumprimentou Kira e isso o deixou mais inseguro e nervoso ainda. O cumprimento simples, vazio e inseguro não ressonou bem para Emma, seu sorriso logo se esvaiu e sua feição voltou ao normal. Os quatro entraram no elevador e se dirigiram ao último andar, o andar em que a sala dos Comandantes está. Após um longo minuto os quatro saíram do elevador e deram de cara com a Comandante e o Comandante Adjunto General Cróix chegando de uma reunião. Ao ver Kira e Kara junto com os seus respectivos sucessores Joanne abriu um grande sorriso e foi cumprimentar todos.

– Ei vocês duas! Como estão? Achei que essas férias não fossem acabar, estava com saudades – logo Joanne voltou seu olhar para Emma e Elliot. – Então esses dois são os sucessores? Podemos conversar na minha sala, Cróix se importa? – perguntou Joanne – Ainda tenho assuntos pendentes da reunião a tratar com você. Assim que terminar com eles podemos conversar.

– Mas é claro, já está na hora do meu café da manhã. Boa reunião para vocês – o General Cróix se retirou para a copa do último andar e os cinco adentraram o escritório mais cobiçado do Centro de Comando. O escritório dos Comandantes era moderno e minimalista, haviam duas mesas – uma para cada Comandante – com computadores all in one e cadeiras muito confortáveis. Algumas plantas falsas para não deixar o ambiente tão morto e sem graça, além de uma vasilha com balinhas de menta na entrada da sala na mesa da secretária.

– Bom dia General Joanne, o Diretor de Finanças vai querer ter uma reunião breve com você e o General Cróix hoje a tarde a respeito do planejamento orçamentário desse ano. Já marquei essa reunião na sua agenda. – após comunicar a General desse novo compromisso a secretária notou a presença de Elliot e Emma. – Então esses dois serão os sucessores de Kira e Kara?

– Já são – respondeu Joanne. – Elliot, Emma, essa é Michelle a secretária dos Comandantes. Ela cuida do agendamento dos meus compromissos e dos compromissos do General Cróix além de muitas outras coisas. Não conseguiríamos trabalhar sem ela.

Michelle era uma mulher com pele clara um pouco baixinha de cabelo castanho claro cortado na altura do ombro. Ela levantou-se para cumprimentar os dois sucessores, mas continuava os olhando de cima com seus 1,53 metros de altura.

– É um prazer conhecê-los! Espero trabalhar com os dois um dia – ao ouvir isso Elliot ficou sem graça, porém lisonjeado. Emma apenas continuou a esbanjar seu sorriso cheio de autoconfiança.

– Pode preparar meu carimbo de Comandante, esse escritório vai ser meu anote minhas palavras – disse Emma exalando confiança. Todos riram amigavelmente e seguiram para dentro do escritório.

A General insistiu que os dois sucessores se sentassem para poder conversar melhor. Ao sentar-se a Comandante Joanne se ajeitou em sua cadeira e apoiou as duas pernas na sua mesa cruzando uma com a outra, Elliot e Emma nunca viram uma mulher tão poderosa e confiante na vida eles estavam maravilhados. A General estava usando seu cabelo crespo preso em um coque.

– Os dois já devem saber da situação em que se encontram, eu consigo arranjar a papelada para vocês começarem a jornada de vocês na Academia logo no próximo semestre. Mas antes quero saber se vocês querem isso.

– E temos escolha? Não quero ser abordada por lunáticos e estar indefesa novamente, não quero viver em medo – disse Emma. A calma de Elliot foi embora e ele virou-se para Emma preocupado.

– Abordada por lunáticos? O que aconteceu? – perguntou Elliot. Ele se lembrou do que Kira havia conversado com ele anteriormente: "Eu só tenho certeza que você corre perigo. Você gostando ou não é detentor de um grande poder que pode ser usado tanto pro bem quanto pro mal, pessoas ruins irão atrás de você para te trazer para o lado delas ou te neutralizar.".

– Kara me contou o que aconteceu por telefone Comandante, iriamos lhe informar assim que possível – disse Kira. A Comandante tirou seus pés da mesa e voltou a sua postura normal, sua expressão se fechou um pouco e deu um grande suspiro.

– Se eu dissesse que estou completamente surpresa com isso seria mentira. Que bom que você está bem Emma. O que eu posso dizer para vocês é o seguinte. Nós podemos escoltar os dois pelo resto da vida se for necessário isso não é um problema para nós, porém vocês abdicarão de sua liberdade. Vocês devem escolher entre ter liberdade ou conforto pelo resto da vida – após ouvir o que Joanne tinha para falar Elliot ficou um pouco pensativo, porém Emma já estava decidida.

– Eu quero começar isso o quanto antes, eu vou começar meu treinamento amanhã – disse Emma decidida. A Comandante, Kira e Kara riram brevemente.

– Gostei do seu entusiasmo garota, mas as coisas não funcionam bem assim. Como eu disse o treinamento de vocês só vai começar no próximo semestre, isso é, ano que vem. E então Elliot, o que me diz? – perguntou Joanne. A hesitação de Elliot sumiu e ele concordou em começar o treinamento junto de Emma. – Perfeito! Chamarei Michelle, ela vai acompanhar os dois até o Departamento de Logística e Pessoal e então ela realizará a matrícula de vocês na Academia.

Com um simples apertar de um botão Michelle foi chamada e então levou Elliot e Emma para efetivar suas matrículas. Assim que os três saíram General Cróix entrou com seu café cumprimentando todas que estavam presentes.

– Bom dia novamente madames, como estão?

– Estamos ótimas é muito bom te ver de novo General – disse Kira no seu tom gentil e alegre de sempre.

– Kira faça-me o favor me chame apenas de Cróix – disse o Comandante Adjunto rindo.

– Eles eram fortes Kara? – perguntou Joanne. O clima da sala esfriou completamente e todos ficaram sérios.

– Honestamente? Para mim eles eram uma piada, mas por pouco eles não a capturaram. Fiz questão de ficar de olho nela durante o resto do dia caso isso acontecesse. Não era exatamente meu plano dos sonhos para o meu recesso. Eles eram terroristas de um nível bem baixo, qualquer Crusader com um mínimo de treinamento conseguia lidar com eles sem maiores dificuldades.

– Eu li o relatório e o laboratório forense já identificou os sujeitos, ambos eram terroristas e tinham anéis de Crusadium, cada um portava um não é mesmo Kara?

– Sim senhora, e tudo indica que eles pertenciam aos Anjos do Apocalipse – ao dizer esse nome todos sentiram um calafrio. A Comandante cobriu seu rosto com as duas mãos e deu outro longo suspiro.

– Ótimo, era tudo que nós precisávamos agora. Eles finalmente estão voltando a agir depois do último ataque. Kira e Kara por favor não tirem os olhos dos seus sucessores, nosso descanso acabou. Os atuais cargos de vocês serão preenchidos, a missão de vocês é treinar seus sucessores e os proteger a qualquer custo, entenderam?

– Sim senhora – disseram Kara e Kira juntas.

– Kira e Kara, preciso saber se posso contar com as duas. Se tivermos outro confronto não podemos nos dar o luxo de perder ou ter baixas como da última vez. Posso contar com as duas? – perguntou Joanne em um tom mais sério. Kira olhou para o chão e respirou fundo após ouvir o que Joanne tinha a dizer.

– Não se preocupe com isso Joanne, quando o próximo confronto ocorrer estaremos prontos – disse Kira.

– Ótimo, dispensadas. Antes que me esqueça, Kara, me encontre no final do expediente quero tomar um chá contigo. Me encontre no estacionamento principal assim que puder.

– Pode deixar Joanne – Kira e Kara saíram do escritório dos Comandantes deixando apenas os dois sozinhos.

– Cróix preciso que bole um plano de contenção caso outro ataque ocorra. Antes que diga qualquer coisa eu sei que estou me antecipando demais, mas não podemos nos dar o luxo de perder para eles de novo, não do jeito que perdemos da última vez.

– Se o General Lucius estivesse lá as coisas seriam diferentes – disse Cróix com um ar de tristeza. – Começarei isso imediatamente Joanne.

Os dois Comandantes sentaram em suas respectivas cadeiras e voltaram a trabalhar, porém com uma ansiedade ruim. Todos sentiram esse mau presságio, a paz a qual estavam gozando não duraria para sempre.

Ao final do expediente Kara encontrou a Comandante conforme o combinado. Kira levou Elliot para a casa dela onde ele estava acomodado até seu semestre na Academia começar. Após conhecer Kira em Nova York ele saiu de seu apartamento alugado e foi morar com Kira durante esse período. Já os pais de Emma alugaram um apartamento em Washington onde ela estava morando enquanto seu semestre na Academia ainda não começava.

– Como foi seu dia Kara? – perguntou Joanne enquanto Kara entrava no carro. Enquanto se aconchegava no banco do carona Kara abriu sua bolsa e tirou um isqueiro e um maço da sua marca de cigarro favorita.

– Se importa? – perguntou Kara.

– Imagina fique à vontade – disse Joanne.

– Vou abrir minha janela e vou soprar para fora do carro, não se preocupe.

– Eu não me importo apenas eu uso esse carro, mas obrigada pela consideração – reforçou Joanne. Após a primeira tragada de Kara ela soltou um grande suspiro de alívio. – Posso te fazer uma pergunta?

– Manda bala Joanne.

– Podemos depender da Kira no caso de um próximo confronto? – após a pergunta Kara deu um longo trago antes de responder a Comandante.

– Nós dependemos de gente bem mais incompetente do que ela todos os dias, te garanto que ela não será responsabilidade de ninguém além dela mesma caso tenhamos que engajar em outro confronto. Era só sobre isso que queria conversar? – após responder a Comandante Kara deu outro trago em seu cigarro. – Me desculpe fui um pouco rude não foi minha intenção.

– Não precisa se desculpar. É só que tudo isso é muito pessoal para mim, o que ocorreu com você e a Emma me deixou preocupada, desde o último confronto eles não fizeram nenhuma movimentação e justo quando vocês transferem o Yin Yang de vocês eles começam a agir. Eu só achei isso muito estranho. Como eles obteriam uma informação como essa? Isso me deixou muito confusa.

– Agora que você falou, eu sempre achei um pessoal do Centro de Comando um pouco estranho, mas não tome a minha palavra como regra. Quer que eu investigue um possível espião?

– Eu odeio admitir, mas preciso te dar essa missão em segredo. Você e sua irmã ficarão atentas a qualquer Crusader suspeito ou que possa estar nos espionando. Tenho certeza que temos mais de um espião entre nós, posso contar com você?

– Sabe que sim gatinha – Kara deu uma longa tragada em seu cigarro e o jogou pela janela. – Se importa de eu te chamar de gatinha? Estamos fora do horário de expediente.

– Claro que não me importo – respondeu Joanne rindo. – Você é uma figura Kara.

– Eu só tenho dificuldades em levar autoridades à sério, só isso.

– Sobre os detalhes conversaremos oficialmente amanhã, eu, você e sua irmã. As únicas missões de vocês duas por um bom tempo serão treinar Elliot e Emma e investigar possíveis espiões. Conversarei com o Departamento de Pessoal sobre para que isso não afete vocês de forma negativa.

– E como você sabe que eu não sou uma espiã? – disse Kara em um tom um pouco sarcástico. Bem nesse momento o carro parou em um sinal vermelho. A Comandante deu boas gargalhadas antes de responder Kara.

– Eu estou dando essa missão para você e Kira porque eu tenho confiança total nas duas. Francamente se você fosse um dos espiões eu te mataria agora sem hesitar – Joanne disse isso sem hesitar e olhou profundamente nos olhos de Kara. Assim que ela terminou de dizer isso o sinal ficou verde e as duas seguiram rindo até a casa de Kara. Já era noite e o céu terminou de escurecer desde o fim da tarde. As duas ficaram conversando sobre a vida no café embaixo do prédio de Kara. Foi uma noite muito agradável para as duas. Quando o assunto acabou pagaram a conta e saíram do café, mas Kara ficou com uma pulga atrás da orelha desde a conversa que tiveram no carro. "Será que eu devo perguntar?", pensou Kara.

– Joanne...

– Sim.

– Não é nada deixa pra lá.

– Pode falar Kara o que quer saber?

– Nossos salários vão ser afetados por estarmos executando missões fora do expediente?

– É claro que não. Eu estava até estudando a possibilidade de te promover no próximo semestre independente dessa situação ou não. Era isso que queria perguntar?

– Sim, achei que seria indiscreto fazer uma pergunta desse tipo.

– Independente de patente, hierarquia ou diferença de idade somos amigas Kara pode conversar sobre qualquer coisa comigo.

– É ótimo saber disso Joanne obrigada por me responder.

– Mais alguma coisa? Meu marido está me esperando em casa com o jantar, ele fez a famosa lasanha de berinjela dele.

– Deve ser deliciosa eu adoraria experimentar – Kara pensou bastante antes de tomar essa decisão, mas resolveu perguntar o que realmente queria perguntar. – General – após ser chamada de "General" a expressão de Joanne ficou séria, não estava descontente apenas séria. Seu tom de pele escuro refletia a luz do luar nessa noite. – Eu preciso saber de algo antes de embarcar nessa missão e preciso que você seja franca comigo.

– Diga Major.

– Por qual motivo você disse que o que ocorreu comigo e Emma foi algo tão pessoal para você? – ao ouvir a pergunta de Kara a Comandante sentou-se no banco na frente do prédio de Kara e a convidou para sentar junto.

– Você deve me prometer que isso não sai daqui.

– Você tem minha palavra.