Actions

Work Header

Musical de Mildred Hubble

Work Text:

Foi a primeira vez naquela semana que Mildred se sentiu alegre e temerosa ao mesmo tempo. Havia acabado de sair da sala de canto com uma nova tarefa em mãos.

Criar uma canção de autoria própria, do seu jeito! O tema era seus maiores sonhos, desejos ou no caso algo que realmente gostaríamos de vivenciar.

Mildred sempre foi boa em desenhar arte entre o papel e os lápis sempre foram sua paixão, mas escrever, oh não isso era completamente fora da sua zona de conforto e ela poderia facilmente dizer que Miss Bat sabia disso.

Indo em direção ao refeitório a garota das tranças se perdeu em pensamentos pensando no que poderia criar, algo que pelo menos a fizesse passar na matéria. O almoço, na visão da menina, não era realmente uma das melhores comidas que existem, mas ao menos a enchia. Enchia como um cimento pesado e gosmento que tapava tudo por onde passava.

Maud, do seu lado esquerdo dizia que talvez fizesse algo sobre sua peça favorita, ou na história de seus pais, que era romântica, dizia. Enid por outro lado parecia muito animada, Mildred poderia entender, afinal seus pais eram cantores e ela realmente tinha uma voz boa, quando queria realmente cantar e não só atrapalhar a aula. Ela se sairia fácil nessa, Mildred pensou.

Na aula de feitiços, com Miss Cackle, Mildred ainda se via com o pensamento na aula de canto, embora tentasse fazer com o máximo de atenção o que era pedido. Ao final da aula, ficando para trás a pedido da Miss Cackle, a menina se virou nervosa por um momento.

Pela primeira vez ela não havia recebido reprimendas ou castigo, embora tenha errado na aula não aconteceu nenhuma catástrofe, seu feitiço só estava fraco demais. Ela esperou sentada vendo sua diretora vir até ela.

“ Eu… eu não estou encrencada, estou? Eu não… eu não fiz nada…”

“Oh, está tudo bem, Mildred. Está tudo bem, você não está em apuros agora. Na verdade, eu gostaria de sua ajuda!”

“ Da… minha ajuda?”

“ Oh sim. Sabe, a academia Cackle foi convidada a participar de um grande evento, Mildred. Um recital de poesias tradicionais.”

“Nossa, isso é incrível!”

“É sim, claro que é. Contudo, a nossa escola é que irá sediar o evento e irá receber os participantes. E precisamos de uma decoração e recepção calorosa e muito criativa para os encantar. O que acha? Pode me ajudar com isto?”

“ Eu… eu adoraria, Miss Cackle. Isso vai ser demais!”

“ Oh fico muito feliz que esteja contente. Mas peço que não se esqueça que ainda precisamos que esteja dentro dos padrões da Academia Cackle, sim?”

“Claro.”

A menina disse sorrindo antes de o diminuir ao pouco mordendo os lábios.

“ Está tudo bem?”

“Oh, Miss Cackle, a Miss Hardbroom está sabendo disso? Que eu… estou organizando as coisas? Eu não acho que ela ficaria feliz com isso..”

A mais velha assentiu entendendo enquanto dava um pequeno suspiro, ela mesma achava que Hécate Hardbroom era rígida demais às vezes.

“ Não se preocupe Mildred, contanto que faça as coisas obedecendo as regras e que nada seja perigoso, garanto que Miss Hardbroom não irá lhe atrapalhar.”

“ Certo. Prometo que darei o meu melhor, Miss Cackle!”

“ Tenho certeza disso, querida. Agora vai, tenho certeza que irá querer contar e pedir a ajuda de suas amigas antes do jantar!”

Mildred assentiu pegando suas coisas e saindo rápido da sala com um largo sorriso no rosto.
Ela seguiu pelos corredores sentindo uma alegria imensa enquanto procurava suas amigas.

“ Maud, Enid. Me esperem”

A menina gritou vendo suas amigas mais a frente, perto da escadaria central indo em direção ao primeiro patamar de dormitórios.

“ Millie, está tudo bem?”

Enid rindo perguntou vendo sua amiga praticamente saltar de alegria.

“ Muito bem, muito melhor do que bem!”

“O que aconteceu? Miss Cackle de deu uma nota A?”

Maud perguntou estranhando, Enid riu junto com Mildred.

“ Não…”

“ Então ela te deu passe livre para aprontar o dia todo?”

“ Ela nunca vai fazer isso, Enid!”

Mildred afirmou com convicção, afinal, ela sabia, Miss Cackle poderia ter Alzheimer, nas nunca iria dar algo assim a algum aluno.

“ Então o que é?”

“ A Academia Cackle vai participar de um concurso e adivinha quem ela chamou para fazer a decoração:”

“ Millie isso é demais!”

“ Isso é incrível, Millie”

“ Isso só pode ser uma grande mentira! - Ethel apareceu atrás de Mildred a fazendo se virar em susto antes de bufar. - Miss Cackle nunca escolheria a Pior bruxa da academia para isso. Você está mentindo Mildred Hubble!”

“ Então pergunta para ela!”

Mildred disse balançando os ombros, mas já se sentindo um pouco chateada, porque ela não poderia simplesmente deixar de ser vista como a pior bruxa?! Ela não tem culpa das suas origens.

Ethel saiu esbarrando nela com Felicity logo atrás, mas a mesma parou para parabenizar Mildred. A mesma, junto com suas amigas foi para o seu quarto deixando seu material na cadeira perto da porta e se jogou sentada na cama com suas amigas.

“ Então, sobre o que vai ser esse concurso, Millie?”

“ É um concurso de poesias tradicionais. Irão vir acho que duas outras escolas para cá.”

“ Isso é incrível, Mildred!”

“ E… tem mais - ela disse olhando para suas amigas. - Miss Cackle disse que eu poderia chamar vocês para ajudar!”

“ Isso vai ser divertido!”

“ Sim, podemos fazer muitas coisas!”

“ Bom, a Miss Cackle disse que deve ainda respeitar as regras da escola, mas que deve ser criativo para impressionar as outras academias!”

“ Já teve alguma ideia?"

“ Na verdade, algumas… - Mildred se levantou indo até a bolsa e pegando seu caderno e uma pena de escrita antes de voltar para a cama. - Pensei em transformarmos uma das paredes em um mural, colocar várias poesias, frases e versos de todos os tipos sabe!”

“ Isso parece um boa idéia, mas acha que a Miss Cackle vai gostar de ter uma parede do castelo assim para sempre?”

Embora fosse uma surpresa, quem falou isso foi Enid, Mildred parou para pensar assentindo.

“ Sim, ela está certa, Millie!”

“ Tá, tudo bem. Bom, podemos então cobrir uma parede com papel, usar um feitiço para ser bem grande que cubra toda a parede. E assim também a academia vai poder guardar depois.”

“ Tá, pode dar certo! - Maud disse arrumando seus óculos. - Tem outra idéia?”

“ Ei, que tal fazermos uma apresentação quando eles chegarem?”

Enid sugeriu.

“ Apresentar o quê?”

“ Ah, talvez uma das músicas que a Miss Bat pediu, Millie.”

“ Mas ainda nem temos nada feito! - Maud respondeu. - Mas poderia ser uma boa idéia.”

“ Bom, então podemos deixar como despedida, tipo para depois do concurso!”

“ Isso seria legal! Posso tentar falar com Miss Cackle depois… Mas o que fazemos quando eles chegarem e como vamos decorar o salão principal?”

“ Podemos pensar nisso depois do jantar! Está na hora, vamos.”

Maud disse arrastando suas amigas para fora do quarto. Mildred passou o jantar inteiro pensando no que poderia fazer, mal notando os olhares raivosos de Ethel Hallow em sua direção, ou quase perdendo o anúncio de Miss Cackle para a escola falando sobre o concurso que seria entre a Academia Pentangle e a Academia Amulet.

Quando enfim o jantar acabou, Mildred disse para as amigas que estava cansada. E embora ela realmente estivesse, ela só queria ficar um pouco sozinha.

Às vezes era assim, ela só se sentia cansada de repente. Ela, em algumas ocasiões pensa em falar para alguém como ela se sente, bem, e depois ela se lembra que quase ninguém realmente se importa já que ela não passa de a pior bruxa.

Antes de ir para seu quarto, ela foi para a sala de espelhos, ainda estava se formando a fila e ela conseguiu ser a terceira a chegar, o que era praticamente impossível.

Quando enfim chegou sua vez ela sabia que não adiantaria ligar para sua mãe agora, a está hora ela já tinha começado o plantão no trabalho. Pensando bem, ela decidiu fazer algo que, mesmo depois te saber que poderia fazer sempre que precisasse, ela não fez.

“ Ligar para Pippa Pentangle.”

Ela esperou vendo o espelho que antes mostrava seu próprio rosto ficar preto e então clarear mostrando uma diretora vestida de rosa com um óculos, também rosa, no rosto.

“ Mildred? Ah, oi”

“ Oi Miss Pentangle. Me desculpe te ligar, mas é que você tinha dito que… bom, eu pensei. na verdade foi uma péssima ideia, eu estou te atrapalhando não é, acho que é melhor só eu….”

“ Hey, hey, calma. Está tudo bem, querida! Eu disse que poderia me ligar sempre que quisesse, e estava falando sério!”

Mildred assentiu respirando fundo. Ela nem mesmo sabia o porque tinha ligado para começar.

“ Está tudo bem?”

“ Bem, sim. Eu acho. Quer dizer, está… eu eu estou, ah, sim. Está”

“ Mesmo? - Ela disse retirando o par de óculos. - Isso pareceu um pouco confuso?”

Mildred bufou de frustração e deixou seus ombros cairem.

“ Eu não sei o que estou fazendo na verdade…”

Disse mexendo suas mãos sem conseguir encarar o espelho.

“ Como assim? Aconteceu algo? Sabe que pode me contar o que quiser, não é?”

“ Eu não sei… às vezes, eu acho que não sei o que estou fazendo. Que está tudo errado, ou… de ponta cabeça, mesmo quando nada está acontecendo e eu não sei porque! - Mildred disse sentindo suas mãos tremendo. - Eu só quero que isso pare...”

“ Oh Mildred, você está sob muita pressão!”

“ Eu sei que consigo, eu tento, mas… às vezes me sinto como se estivesse fora de órbita, ou que fosse um mostro no lugar errado.”

“ Oh querida. Eu posso falar com a Miss Cackle, podemos…”

“ Não. Por favor, não! Eu não quero que mais ninguém sabia, eu só… queria conversar…”

“ Mildred, eu fico de mãos atadas assim, não tenho muito como te ajudar de longe, mas sempre que precisar conversar ou desabafar estarei aqui! Mas deixarei claro que se eu ver que isso está indo longe demais e que está te fazendo mal irei resolver as coisas e conversar com Ada Cackle.”

“ Tudo bem, mas não acho que chegará a isso!”

A loira assentiu e assim passaram a conversar um pouco, sobre tudo, as aulas da menina, o trabalho como diretora de uma escola e como o conselho e o Grande Mago sempre tentam ridicularizar a academia Pentangle por aceitar alunos de famílias não-mágicas. Sobre como Mildred tem medo de sempre ser a pior bruxa, como nunca nada parece ser o suficiente e como ela se sente sufocada algumas vezes.

“ Bom… é melhor eu ir, a fila deve estar enorme lá fora!”

“ Claro, tudo bem, eu entendo. Tenha uma ótima noite, querida. E lembre-se; sempre que precisar estarei aqui!”

Mildred saiu indo direto para seu quarto, ela se arrumou para dormir, mas não havia sono algum. Não havia ânimo para desenhar, não agora. Então, a mesma pegou o livro de dentro do guarda-roupa, a história que sempre amou desde criança.

Não era uma história bruxa nem nada, era uma simples história infantil que sua mãe lia quando ela era muito pequena, e virou sua favorita ao longo dos anos. Mildred já estava quase no final do quinto capitulo quando parou deixando o livro cair;

“ É isso!”

Ela se levantou e pegou seu caderno e um lápis, abriu seu material em uma folha qualquer enquanto pensava em como colocar.

Papéis, riscos e rabiscos, amassados e jogados pelo chão enquanto uma garota frustrada estava jogada contra a cama adormecendo sem perceber.

Quando o dia raiou, Mildred foi saudada pelo som de chuva do lado de fora e um gato miando em cima do seu rosto.

“ Bom dia para você também, Malhado”

Como seu todo o dia, ela se espreguiçou, enrolou mais e enfim se levantou se arrumando apressadamente ao perceber estar quase atrasada. Ao sair do seu quarto Mildred correu pelos corredores indo em direção ao salão principal a tempo do café da manhã.

“ Quase em Millie, é melhor tomar cuidado antes que a HB te pegue atrasada!”

“ É eu sei, acabei enrolando demais na cama.”

O café da manhã passou rápido, assim como as primeiras aulas, em grande maioria sem problemas. E então, poções, Mildred adorava as aulas de poções, ou melhor, o que você poderia fazer em um caldeirão, mas ela parecia ter um sério problema com a matéria, e principalmente, com quem a ensina!

Mildred entrou na sala indo direto para sua bancada sentindo seu estomago se revirar. Ela não entendia o porquê, nem mesmo tinha conseguido estragar algo ainda. Maud sentou ao seu lado como sempre, e Enid atrás dela com uma outra menina. Talvez se chamasse Florencia, pensou Mildred.

“ Abram seus livros na página 34 meninas, faremos hoje uma poção de proteção!”

O início foi fácil até, não era uma poção realmente complicada. Os ingredientes eram;
3 Folhas de Hortelã, 3 Folhas de Guiné, 3 Cravos comestível, 3 Folhas de Arruda, Álcool misturado a cera de uma vela queimada no crépusculo.

E então, enfim vinha a parte da convocação, Mildred tinha a boca seca e o estômago revirado, ela sentia que algo iria dar terrivelmente errado hoje, mas não sabia o que era ou como, e, isso a angustiava ainda mais. Respirando fundo ela recitou.

“Aqui agasalho a proteção
Os males não alcançaram...

As maldições não acharam,
O ódio e o rancor serão banidos.
Com essa poção estou protegido,
Que assim seja
E assim se faça.”

Mildred fechou os olhos esperando a bagunça acontecer, mas nada veio. Ela abriu os olhos com cuidado e olhou para sua poção, Maud ao seu lado desligava o fogaréu. As duas tinham a mesma tonalidade.

“ Maud, eu… acho que acertei…”

“ Que legal Millie, é isso aí, você conseguiu!”

“ Bom, vejamos se usa poção é realmente eficaz, Mildred Hubble.”

Ambas as amigas encararam com atenção a professora que entre uma longa careta afirmou algo que fez as amigas comemorarem.

“ Está… correta, Mildred Hubble.”

O final da aula passou rápido e Mildred então foi para o quarto com suas amigas, encontrando no meio do caminho Sibyl com suas amigas que lhe fez ter uma idéia.

“ Acho que já tenho a ideia do que podemos fazer para a recepção das escolas!”

Mildred disse se sentando na cama olhando pela janela ainda vendo o tempo fechado e a chuva caindo..

“ O quê?”

“ Uma apresentação do primeiro ano, tipo um canção ou feitiço.”

“ Éh, parece legal, mas porque não nós?”

“ Bom, eu pensei em colocar nós, com o trabalho da Miss Bat após a competição, como encerramento, sabe?!”

“ Ótima idéia, Millie.”

“ Legal né, eu também achei, mas quero juntar mais ideias para a decoração antes de ir mostrar para a Miss Cackle.”

“ Precisamos ser rápidos, a escola chega no sábado e a competição acaba no domingo.”

“ Eu sei! Vai dar tudo certo.”

Enid saiu se lembrando que tinha detenção com a Miss Drill e Maud saiu indo para seu quarto fazer suas lições de casa.

Mildred se levantou indo se apoiar na janela vendo a chuva caindo, alguns pontos do seu quarto estava pingando, mas ela já havia colocado bacias ou copos. A menina começou tentando fazer sua lição de casa de Ciência do Feitiço, não era tão difícil, o senhor Rowan-Weber tinha passado um pequeno questionário de múltipla escolha.

Depois disso foi Feitiços, que a aula seria amanhã, era para explicar as diferenças entre Arruda e Guiné. Mildred se sentiu alegre ao perceber que foi fácil responder depois da aula de poções de hoje.

Antes que pudesse começar a lição de poções a sensação voltou, com muita força, Mildred se sentou na cama sentindo como se seu peito estivesse se contraindo. Era como se alguém estivesse apertando seu peito por dentro.

Sua porta se abriu e se fechou, Mildred mal havia percebido que havia mais alguém no quarto até que a pessoa estava em sua frente.

“ O que você quer, Ethel?”

“ Vai até a Miss Cackle e diga que você desiste de fazer a recepção para a competição!”

Mildred sentiu ainda a contração no peito, mas balançou a cabeça tentando afastar isso.

“ O quê? Porque eu faria isso?”

“ Porque eu sou a melhor aluna dessa academia, eu que devo fazer isso e não você!”

“ Ah, me deixa em paz, Ethel. Vai embora, saí do meu quarto!”

“ Tudo bem, não quer fazer isso por bem, okay?! Se você não for falar com a Miss Cackle até as 17h aquele seu gato estúpido vai estar caindo do telhado mais alto do castelo!”

“ Ma… Malhado, o quê?”

Mildred passou a procurar seu gato ao redor percebendo que não o viu desde de manhã.

“ Ethel, o que você fez? Cadê o meu gato?”

Mildred se levantou indo até perto da garota que deu um passo para trás, ainda com um sorriso no rosto, embora mais inseguro.

“ É simples, assim que você falar com Miss Cackle eu te devolvo ele. Se não, ele vai cair da torre e se espatifar no chão. Bom, ou eu posso o cortar em pedacinhos e te dar de presente!”

Antes que Mildred pudesse chegar mais perto, Ethel saiu rápido do quarto deixando a garota atordoada para trás. Mas que logo voltou a si e saiu correndo indo pelos corredores, tropeçando em algumas pessoas até chegar do lado de fora procurando por todo o terreno algum sinal do seu gato.

Mildred sentia suas mãos tremerem, mas não era mais seu medo ou insegurança. Era raiva. Raiva porque nada nunca era o suficiente, porque sempre alguém tinha que estragar as coisas para ela, raiva porque sempre era a culpada de tudo, mesmo quando ela não tinha nada haver.

Mildred entrou no castelo de novo determinada a ir atrás de Ethel, ela não estava mais ligando para as regras, ela iria transformar a garota na pior coisa que viesse a sua cabeça se ela não lhe devolvesse seu gato.

Antes que pudesse chegar às escadas foi puxada para o lado e sentia sua boca ser tampada.

“ Calma, sou eu!”

“ O que você quer, Felicity?”

“ Eu vim te ajudar.”

“ Me ajudar? Você não estava com a Ethel?”

“ Olha, eu sei que fico quieta, mas não gosto do que a Ethel faz!”

“ Então porque você fica com ela?”

“ Eu… não queria ficar sozinha. Na verdade eu queria ser popular.”

“ Bom, a única fama que ganha perto dela é de valentona!”

“ Eu sei, e estou cansada disso. Cansada dela só me usar quando quer fazer alguma maldade. E é por isso que estou aqui!”

“ Você sabe onde está o malhado?”

“ Sim, mas não vai adiantar você ir até lá, ela lacrou com feitiço familiar, só um Hallow poderia entrar!”

“ Podemos ir atrás da Sibyl...”

“ Mildred, espera! Pensa, o que ela quer você faça?”

“ Fale com a Miss Cackle, ela quer que eu desista de ajudar na decoração e recepção dos convidados.”

“ Então?. - Felicity disse encarando a outra sorrindo, mas revirando os olhos vendo que a mesma não havia entendido. - Millie, ela quer que você vá até a Miss Cackle, mas ela não sabe o que você vai falar! Entrega ela para a diretora.”

Mildred pensou um pouco, sim, isso até poderia adiantar, mas Ethel também só ficaria com mais raiva e ela sabia que a garota não iria receber o castigo merecido, só iria pegar algo leve por causa do seu sobrenome.

“ Eu não acho que isso vai funcionar, Fel, Ethel pode dizer que é mentira e ficar por isso mesmo!”

“ Não com isso!”

Felicity retirou do bolso uma peça de madeira preta com penas coloridas em voltas.

“ Ah… o que é isso?”

“ É um caça sonhos. Ele geralmente impede que os sonhos ruins venham porque ficam presos aqui dentro. Mas ele também serve como um caçador de memórias! - Mildred a olhou ainda sem entender muito. - Ethel veio até meu quarto contando todo o seu plano, mostrando isso para Miss Cackle ela não tem como escapar!”

“ Você… tem certeza? Está tudo aí mesmo?”

“ Sim. Vem, vamos mostrar para Miss Cackle?!”

“ Espera, Felicity você tem certeza que quer ir comigo, assim que Ethel souber ela não vai ser algo fácil!”

“ Eu sei. Mas estou cansada de muitos me tratando mal por pensarem que sou igual a ela! Quero fazer o que é certo. Agora vem...”

Antes que Mildred pudesse dizer qualquer coisa a mais, foi arrastada por metade da escola, desviando de alguns alunos e fingindo que estava tudo normal caso vissem a Ethel, até chegar na direção.

“ Você tem certeza? Daqui não tem mais volta!”

“ Eu sei. E eu quero fazer! Mas… me promete uma coisa?”

“ O que?”

“ Você… ainda vai ser minha amiga?!”

“ Mais é claro, Felicity! E tenho certeza que todas as outras também, você muito bem-vinda a ficar com a gente.”

Ambas se olharam e assentiram batendo na porta, ao olharem para o lado viram Ethel as olhando desconfiadas e vindo rápido em suas direções, mas não o suficiente antes que a porta se abrisse e as duas entrassem rápido fechado a porta atrás de si.

“ Está tudo bem, meninas?”

A mais velha perguntou de sua mesa vendo duas de suas alunos do lado de dentro da sua sala, segurando a porta como se ela fosse cair a qualquer momento.

“ Ah.. encantada Miss Cackle”

“ Encantada Miss Cackle…”

As duas disseram sentindo como se o peito estivesse saindo por sua boca. Olharam mais um vez para a porta, como se ela fosse um inimigo natural antes de se aproximarem mais da diretora.

“ Estão precisando de alguma coisa? Está tudo bem?”

As meninas se olharam e então Felicity abaixou a cabeça negando.

“ Na verdade não, Miss Cackle.”

“ O que aconteceu? Posso ajudar em algo?”

Mildred respirou fundo, ainda sentindo a sensação ardente e ruim no peito.

“ Na… na verdade, acho que sim. Que… que a senhora pode ajudar!”

“ E no que seria? ”

Mildred olhou para Felicity que assentiu pegando sua mão e segurando.

“ A fazer Ethel me devolver o Malhado!”

Antes que a diretora pudesse questionar mais Felicity retirou do bolso mais uma vez o material e entregou a diretora.

“ Oh, isso é um caçador de sonhos, sim?!”

“ Sim, Miss Cackle, mas ele também é um caçador de memórias. Acho… que ele pode mostrar com mais detalhes tudo o que a senhora precisa saber!”

Ada Cackle encarou suas duas alunas por cima dos olhos e então assentiu vendo como ambas pareciam aflitas, e talvez até um pouco pálidas demais, no caso de uma certa menina com duas tranças.

Se concentrando na peça a mais velha repetiu um feitiço conhecido convocando a última memória do objeto vendo e ouvindo então, em uma cor translúcida que lhe forçava um pouco a vista Ethel no quarto da Felicity lhe contato como pegou o gato de Mildred Hubble e a obrigaria a desistir de participar da decoração da competição e fazendo assim a Miss Cackle a escolher, por ser a melhor aluna da academia.

Ou como ela faria o gato ficar preso na torre mais alta e depois o atiraria de lá se a garota não fizesse o que ela querida.

Mildred sentia seu estômago revirado, ela acreditava que a qualquer momento poderia se curvar e vomitar ali mesmo, mas se esforçava para evitar. Suas mãos estavam frias e ela sentia como se estivesse soando embaixo de um sol escaldante enquanto tentava se manter firme e de pé.

Quando Miss Cackle terminou de ver a memória, olhou para suas duas alunas e negou com a cabeça fechando os olhos. Ela se sentia cansada sobre esse assunto em questão, aliás, sobre está aluna.

Cackle sabia que essa rixa era infundada, e na verdade sustentada somente por uma das partes enquanto a outra só piorava as coisas enquanto as tentava consertar. Ada se sentia em panos brancos, pois com a srta. Hallow no Conselho, como ministra da educação, ela ficaria em maus lençóis ao fazer algo contra Ethel.

Mas sabia que isso já estava chegando longe demais; o que poderia impedir a menina atentar contra uma vida humana depois de ameaçar um pobre animal indefeso? Não. Ela não queria desistir da menina, mas sabia que se nada fosse feito agora não teria mais volta e Ethel estaria perdida. Caso Ursula Hallow quisesse agir contra sua academia, que viesse, ela também tinha suas cartas na manga contra a mulher.

“ Vamos resolver isso, meninas!”

Com um aceno de mãos a mulher convocou a menina para sua sala, que estava justamente com o animal em mãos!

“ Malhado!”

Mildred saltou para frente em passos vacilantes, pegando o gato dos braços da loira sem nem a olhar.

“ Oh Ethel, eu sinceramente me sinto muito decepcionada!”

“ Miss Cackle… eu… eu não sei do que a senhora está falando. Encontrei o malhado enquanto andava e estava indo devolver para Mildred, em seu quarto…”

Isso foi o estopim para a mais velha, ela se levantou com as mãos espalmadas na mesa encarando a menina.

“ Não me trate como se eu fosse uma tonta Ethel Hallow! Você está em grandes problemas aqui e é melhor pensar seriamente suas atitudes!”

“ Eu… eu…”

Sem encontrar realmente uma saída a loira então decidiu por ficar quieta, ela estava encrencada, sabia disso, e se falasse algo errado, ela poderia ficar ainda pior.

“ Você ameaçou outra bruxa, uma de seu próprio coven ainda por cima, sua líder! Ameaçou ferir intencionalmente o seu familiar e ainda por cima tentou mentir para sua diretora! Você não tem ideia do quanto está em apuros, garota!”

“ Tenho certeza que isso não passa de um mal…”

“ Mal-entendido são suas ações que ficaram encobertas e sem correção por muito tempo ao ponto de você agir assim. Mas isto acaba aqui!”

Ada encarou a menina agora amedrontada em frente a sua menina, e então se virou para as outras duas mais atrás com o rosto um pouco mias suave.

“ Podem ir meninas, estão dispensadas!”

“ Obrigada, Miss Cackle.”

Felicity e Mildred falaram juntas saindo da sala devagar, encontrando ainda com o olhar de Ethel para cima delas, era uma mistura desconfortável para ambas as bruxas que deixaram a sala; Raiva, mágoa, medo e talvez tristeza elas poderiam arriscar.

Foram pelos corredores seguindo em direção a escada.

“ Eu disse que iria ficar tudo bem, Mildred!”

“ Eu acho que nunca vi a Miss Cackle daquele jeito!”

“ É, ela estava bem brava mesmo! - Felicity parou olhando para trás na escada e vendo Mildred sentada entre os degraus e Malhado antes em seus braços, agora próximo miando enquanto tocava sua dona. - Mildred, você está bem?”

“ Eu… eu não me sinto bem… Tem alguma coisa de errado.”

“ Espera, o que você está sentindo?”

“ Meu peito… ele dói… parece que… quer sair… Felicity...”

Mildred encostou a cabeça para trás tentando respirar. Seus sentidos estavam confusos e ela não parecia ouvir os gritos de Felicity ao redor pedindo ajuda. Ou ter ouvido quando Miss Drill que entrava veio correndo e a encarou com atenção verificando seu pulso.

Ela realmente não estava sentindo muita coisa, na verdade praticamente não sentia nada. Sua visão era lenta e parecia desfocada, apareciam algumas pessoas no seu campo de visão e então tudo ficava confuso de novo.

Ela podia dizer que viu Miss Drill, de relance, então, embora muito confuso, parecia ser Sibyl com suas amigas, mas ela não conseguia saber quando Clarice ficou com o cabelo da Beatrice, ou quando Sibyl passou a usar os óculos de armações grossas de Clarice.

E então tudo ficou mudo, ela não via realmente muita coisa, parecia preto, e então claro e voltava a ficar escuro.

Desde quando parecia tão difícil respirar, ela se perguntou. E então sentiu como se estivesse levando um choque no meio do peito e tudo voltar de uma vez.

Sua visão clareou e as cores arderam seus olhos por um momento, seu peito ardia e parecia querer pular para fora, seu corpo parecia mole e cansado, havia muitas vozes ao seu redor que embora tentasse distinguir, eram muitas e falavam ao mesmo tempo.

Foram minutos assim, ou horas, Mildred não sabia dizer, até quando enfim conseguiu reagir e abrir seus olhos sem sentir que estava ficando cega, ainda precisou piscar algumas vezes para isso, mas conseguiu.

Ela tentou levantar a cabeça mas soltou um gemido ao sentir como se estivesse fazendo o maior esforço do mundo. Alguém então lhe tocou e com uma voz baixa disse para não forçar. Mildred voltou a encostar a cabeça, era macio, um travesseiro provavelmente, e então dormiu!

****

Os sons se fizeram presente trazendo a menina de volta a inconsciência, e trazendo euforia para os que estavam próximos, e preocupados. Assim que Mildred abriu os olhos ela se deparou com três pares de olhos a analisando com calma; Maud, Felicity e Miss Drill.

“ O que foi? Eu perdi a hora?”

Ela perguntou realmente sem se lembrar o motivo de todos dentro do seu quarto, que logo foi invadido pela chegada de Miss Cackle, Miss Hardbroom e professor Roman-Webber.

“ Como você está, minha querida?”

“ Ah, bem. Aconteceu alguma coisa?”

Mildred encarou a diretora confusa, a mulher lhe olhou por cima dos óculos e então se aproximou colocando a mão em sua testa.

“ Bom, ao menos a febre diminuiu! Mildred, do que você consegue se lembrar?”

“ Ah, bem… aula de poções, depois fui para meu quarto e…”

Então tudo voltou a si de uma vez. A ameça de Ethel, a sensação de angústia, Felicity e tudo mais.

“ Malhado!”

“ Pode ficar… tranquila, Mildred Hubble. Seu gato está completamente a salvo!”

“ Aparentemente Mildred, você teve um ataque de pânico!”

“ Ataque de pânico?”

A diretora assentiu se sentando ao lado da menina, na cama.

“ Parece que, o estresse e o medo pelo seu gato fizeram com que lhe causasse essa situação. Aparentemente você também não tem se alimentado muito bem e por isso ficou mais sensível! Tudo isso misturado a sua magia não lhe deu uma boa experiência."

“ Eu… eu sinto muito.”

“ Está tudo bem, Mildred. O importante agora é que você está bem!”

Disse Miss Drill logo seguida pelo único mago presente.

“ Sim, certamente. Ficamos todos muito preocupados com você, girininho!”

A menina sorriu para o mago, ele sempre foi o mais gentil e conselheiro, volta e meia tentava lhe ajudar, embora o ramo da bruxaria sejam muito diferentes.

“ Agora, como se sente, querida?”

“ Bem. Me sinto normal, na verdade!”

“ Isso é muito bom, Mildred! - disse a professora de esportes. - Depois de uma experiência dessa, nosso corpo tende a demorar um pouquinho para se recompor! Acredito que se alimentar te deixará pronta para outra então!”

“ Quanto tempo eu fiquei dormindo?”

“ Há duas horas e 45 minutos, Mildred Hubble. E com este descanso prolongado espero que esteja muito mais do que apta para as atividades após o jantar ”

Mildred encarou sua professora de Poções e por um triz quis suspirar, mas então se conteve, isso poderia não acabar bem. Mas sua resposta nem mesmo foi necessária, graças a diretora.

“ Bom, receio que Mildred estará muito ocupada em meu escritório, Miss Hardbroom. Ela ainda precisa me passar todos os detalhes que planejou para a recepção dos nossos convidados, para então começarmos ao trabalho.”

“ Isto se ela tiver realmente feito seu trabalho e planejado algo…”

A garota suspirou entre um bufo ou outro se contendo para não revirar os olhos, claro que sua professora nunca esperaria nada dela!

“ Sim, Miss Cackle, tenho certeza que estarei bem depois do almoço e posso levar a minha lista para a senhora!”

Ela disse sem encarar o rosto da sua amante de poções.

 

Após ser verificada pela professora de esportes e pela diretora, Mildred foi liberada para ir ao salão acompanhar os outros alunos que já faziam a refeição.

Maud e Enid ficavam completamente aliviadas ao ver sua amiga entrando no salão, assim como Sibyl que logo pulou do seu lugar junto com as amigas indo se sentar perto das mais velhas. Felicity também estava sentada perto de Maud, o que instaneamente fez Mildred sorrir sabendo que tem mais uma parceira de grupo.

Durante a refeição todas conversaram, questionaram o acontecido a Mildred e Felicity contou o que teria acontecido depois que ela desmaiou. Mildred questinou o fato de não ver Ethel em lugar nenhum, mas logo se desculpando ao ver a expressão de Sibyl.

" Está tudo bem! - a menina disse voltando a sorrir, embora não como antes. - Ela mereceu! E peço desculpas pelo que ela tentou fazer ao malhado!"

" Você não tem culpa, então não me deve desculpas!'

" Miss Cackle a castigou até o final do semestre! - Felicity disse calmamente. - Ela vai ser obrigada a ajudar na cozinha antes do café e depois do jantar, também tem que limpar uma sala de aula todos os dias e ajudar Miss Drill durante o final de semana!"

Mildred arregalou os olhos, bom, ela mesma já teve esses castigos, são exaustivos, mas nunca teve que fazer isso de uma vez.

" Além de que teve a estrela da noite confiscada! - Sibyl disse com uma expressão tristonha. - Miss Hardbroom disse que se ela pode machucar outros gatos não é merecedora da sua! Ela só a vai ter de volta se Miss Cackle achar que ela melhorou seu comportamento no final do ano letivo!"

" Nossa..."

As meninas ficavam silenciosas, mas rapidamente outro assunto voltou a mesa, este da qual Mildred se animou ao receber dicas de Beatrice e Clarice também.

" Foram ótimas ideias meninas, obrigada!"

" De nada!"

" Millie, quando vai falar com a Miss Cackle?"

" Na verdade... agora!"

Ela disse depois que terminou seu prato. Mildred se despediu de suas amigas e saiu do salão, falando a Miss Drill, que era a inspetora durante o jantar, aonde estava indo.