Actions

Work Header

Alguém Tem Que Ceder

Chapter Text

ANDREA

 

HOSPITAL

 

Abro meus olhos com dificuldade e vejo as lâmpadas do corredor do hospital passarem rapidamente. Ouço alguns sons, mas não detecto o que seja, até me virar e ver alguns enfermeiros mexendo em mim, enquanto a maca desliza. Todos parecem vultos. Sinto meu corpo ser suspenso e colocado em uma cama, algo mais confortável, pelo menos.

Um médico, não consigo ler seu crachá, chega ao meu lado. Ele parece jovem demais para ser médico, mas minha visão está um pouco embaçada, não posso confiar em minhas percepções sensoriais.

As enfermeiras colocam oxigênio no meu nariz e conectam-me a um monitor cardíaco. Por favor, foi só uma queda boba.

JULIAN - Olá. Como estamos indo aqui?

PARAMÉDICO - Ela esteve 30 minutos inconsciente, respiração 14, pressão arterial de 90 por 80, pulso 82.

JULIAN - Vamos fazer um ECG. Srt. Sachs, sou o Dr. Mercer. Você está com alguma dor agora?

ANDREA - Sinto um pouco de dificuldade para respirar, minha visão está embaçada e minha cabeça dói.

JULIAN - Você pode me dizer seu nome, sobrenome e idade?

ANDREA - Andrea Sachs, trinta anos.

JULIAN - O que você estava fazendo no momento da queda?

ANDREA - Eu estava uh, beijando uma linda mulher.

JULIAN - Você estava tendo relações sexuais?

ANDREA - Infelizmente não.

JULIAN - O senso de humor está intacto... Isso é bom.

Ele sorri, e minha visão parece estar finalmente voltando. Ele verifica meu ECG.

JULIAN - Sem dano cardíaco, sua dificuldade para respirar é apenas ansiedade. Tente se acalmar, estamos colocando algo para dor em sua IV.

ANDREA - Estou bem?

JULIAN - Nós vamos fazer exames de imagem para verificar a lesão em sua cabeça. Mas preciso saber se há algum medicamento que você toma ou se tem alguma alergia.

ANDREA - Eu não tomo nada.

Olho para o outro lado e vejo as três mulheres Priestly me observando. Poderia ser mais constrangedor?

JULIAN - Srta. Sachs? Você sentiu alguma tontura ou náusea antes da queda?

ANDREA - Não. Eu apenas tropeçei.

JULIAN - Você tem certeza? Tenho que perguntar para investigar mais a fundo.

ANDREA - Tenho certeza. Eu sou desastrada, okay? Tropeço em tudo, até nos próprios pés.

Olho novamente para a entrada e apenas Miranda está lá, com sua expressão indecifrável.

JULIAN - Ótimo. Está pronta para os exames?

Confirmo com a cabeça e ele segura minha mão, como se estivesse me dando apoio.

JULIAN - Ok, vamos lá.

 

 

MIRANDA

 

Estamos na sala de espera e Caroline anda de um lado para o outro, enquanto Cassidy, sentada ao meu lado, boceja sonolenta.

CAROLINE - Oh, cara, e se ela não sobreviver? Não sei com quem entrar em contato. Eu não conheço sua família. Só saí para jantar com ela três vezes. Eu mal a conheço.

MIRANDA - Ela vai sobreviver, querida. Não se preocupe. Andrea é uma mulher forte.

CAROLINE - Isso é um pesadelo. É culpa minha, eu quase a matei!

MIRANDA - Você perdeu a sanidade? É claro que não é culpa sua!

CASSIDY - Tudo o que posso dizer é, graças a Deus que ela não caiu com uma ereção, poderia ter quebrado o...

CAROLINE/MIRANDA - Cassidy!!!

Minha filha sempre falando algo inconveniente nos piores momentos. Meus esforços para criar duas ladies foram para o lixo.

Então o charmoso Dr. Julian vira a esquina do corredor. Caroline corre desesperada em direção a ele.

Ele se aproxima de nós e se apresenta adequadamente. Julian me parece bastante jovem, deve ter acabado de se formar. É um homem com carisma, parece bondoso e doce. Ele usa o cabelo preto para trás, um pouco desgrenhado, o que dá um charme a ele, seu sorriso simpático é estonteante.

JULIAN - Sua tia vai ficar bem.

CAROLINE - Oh, ela não é minha tia...

JULIAN - Eu sinto muito. Sua irmã vai ficar bem.

Eu quis muito rir, mas não o fiz em respeito a minha filha.

CAROLINE - Oh, muito obrigada. Mas ela não é minha... não somos parentes. Ela é apenas uma amiga.

JULIAN - Desculpe.

Ele abre um doce sorriso envergonhado, e Caroline e Cassidy só faltam babar por ele.

JULIAN - A Srta. Sachs teve uma lesão leve. Dei a ela algo para dor e náusea está funcionando perfeitamente. Mas ela está um pouco sonolenta. Seus exames estão normais, o que significa que não espero nenhum dano permanente.

Respiro aliviada e deixo a tensão se esvair por meu corpo.

MIRANDA - Obrigada... Isso foi... intenso.

Ele me surpreende segurando minha mão e sorrindo de forma reconfortante.

JULIAN - Estamos fora de perigo. Você é a namorada?

Nunca!

MIRANDA - Não, não, sou apenas ... Não. Sou Miranda. Ela estava jantando em nossa casa. É amiga de minha filha.

JULIAN - Você é Miranda Priestly?

Hum, o médico atraente sabe quem eu sou. Novidade!

MIRANDA - Exatamente.

JULIAN - A editora?

Assenti impaciente.

MIRANDA - Existe outra?

JULIAN - Que prazer. Eu sou um grande fã. Você é muito mais bonita pessoalmente, mal a reconheci.

Okay, sinto meu rosto queimar. Com certeza fiquei ridiculamente vermelha agora. Olho para os lados e as meninas desapareceram, vou ter que lidar com isso.

MIRANDA - Sério? Oh, obrigada...

JULIAN - Você gostaria de um café? Posso buscar para você.

MIRANDA - Séria gentil, mas não quero atrapalhar seu trabalho.

JULIAN - De maneira alguma, o movimento está calmo esta noite.

Sentadas em uma sala de espera privativa, Caroline, Cassidy e eu assistimos Julian entrar com uma bandeja e quatro copos.

Julian diz olá para cada uma, entrega os copos primeiro para Caroline, que o olha de forma adorável. Minha filha não perde tempo. Depois entrega o de Cassidy que sorri sedutoramente. Ele entrega o meu copo, e permaneço séria e apática.

CAROLINE - Obrigada.

CASSIDY - Obrigada, doutor.

MIRANDA - Oh... fumegante como gosto. Obrigada.

JULIAN - De nada. Posso me juntar a você?

MIRANDA - Sim. Claro.

Ele pega o seu copo, senta à minha frente e volta sua atenção total e devotadamente para mim.

JULIAN - No primeiro ano da faculdade de medicina, você aprende o que pode manter acordado a noite toda sem ficar louco. O chá verde vence tudo e é um ótimo antioxidante.

Eu ainda prefiro café, mas não respondo nada, apenas desvio o olhar e saboreio minha bebida razoável.

CASSIDY - Então, hã, você sempre trabalha à noite?

Cassidy joga seu charme para ele. Céus, esse dia está completamente errado. Uma mãe não deveria presenciar todo esse desastre.

JULIAN - Normalmente duas ou três por semana, me dá a chance de ter uma vida real durante o dia...

Ele olha novamente para mim.

JULIAN - Sabe, ouvi dizer que você tinha uma casa nos Hamptons. Eu realmente sou um grande fã. Sinceramente, acho que li todas as revistas da Runway.

MIRANDA - Acho difícil, as edições francesas não chegaram aqui.

JULIAN - Não, tenho quase certeza de que li todas elas, consegui as antigas da França também. Eu quase fui para o ramo da moda antes de decidir pela saúde.

Uma enfermeira surge na porta.

ENFERMEIRA - Doutor, temos um paciente, pode precisar de pontos...

Ele se levanta e me olha.

JULIAN - Vou verificar se a Srta. Sachs está dormindo, todas vocês podem querer fechar os olhos e voltar pela manhã. Prazer em conhecer você Miranda. Senhoritas...

Elas acenam e nós o vemos sair. No segundo em que ele se foi:

MIRANDA- Okay, apesar de não gostar de ver vocês dando descaradamente em cima dele, ele é um cara perfeito para uma de vocês. Ele é adorável, educado, solícito, respeitoso...

CAROLINE - Mãe! Nunca vi um homem menos interessado em nós.

CASSIDY - Ou mais interessado em você.

MIRANDA - Eu? Ele deve ter vinte e cinco anos.

CAROLINE - Não, ele é mais velho do que isso. Deve ter uns trinta e cinco, pelo menos.

CASSIDY - Quem se importa com a idade dele. Quero dizer, ele não é o meu tipo... Carol foge de homens como quem foge da forca, ele é como um médico lindo e saudável, ele é perfeito para você e está caidinho por você, o que o torna realmente perfeito.

MIRANDA - Pare com isso. Ele gosta do meu trabalho. Eu não... É insano. Eu nunca ficaria com alguém tão jovem.

Uma enfermeira surge e se aproxima de nós.

ENFERMEIRA - Qual de vocês é Miranda? Andrea pediu para ver você.

MIRANDA - Okay, vão para casa descansar. Eu vou em seguida.

Despeço-me das meninas e vou verificar de que forma mais Andrea quer me incomodar. Quando entro em seu quarto, ela está coçando os olhos, em trajes de hospital e mal consegue sustentar a cabeça.

ANDREA - Oh Gosh, eu amo sua blusa, deixa seus seios tão...

MIRANDA - Okay, não continue... vejo que eles te deram um monte de drogas.

ANDREA - Miranda, eu sei que por baixo da rainha de gelo, existe uma mulher muito sensível e caridosa...

MIRANDA - Você está totalmente errada.

ANDREA - ... Que vai ligar para Love me tirar daqui.

Ela não olhou em meus olhos por sequer um segundo, seu olhar não sai do meu decote.

MIRANDA - Primeiro, meu rosto é aqui em cima, segundo, você está completamente fora de si, ou não agiria assim comigo. Acha que vai conseguir sair daqui dopada desse jeito?

Ela me encara fixamente com um vinco no meio da testa.

ANDREA - Querida, eu quero ir para casa. Você pode ligar para Love para me pegar? Você não vai ter qualquer responsabilidade caso eu morra.

Ela praticamente choraminga. Vivi para ouvir Andrea me chamar de querida.

MIRANDA - Quem é Love? Outra de suas vítimas? Você tem que dormir, pare de resistir aos remédios.

Ela dá um longo suspiro, seus olhos se fecham por alguns segundos e eu penso que ela finalmente dormiu, mas ela os abre e bate na cama, ao seu lado.

ANDREA - Venha aqui.

Solto um bufo de escárnio, o que ela quer com isso? É claro que eu não vou.

Olho para fora do quarto, está tudo vazio no corredor, entro, fecho a porta e sento ao lado de sua perna. Ela me surpreende segurando minha mão e solta um longo bocejo.

ANDREA - Mulher, e digo isso como um elogio... Você salvou minha vida.

Ela leva minha mão até seus lábios e aplica um leve beijo.

ANDREA - Sua pele é tão suave...

Ela desliza as costas da minha mão em sua bochecha e eu puxo rapidamente meu braço e limpo a garganta para afastar o meu estranho nervosismo.

ANDREA - Agradeço do fundo do meu coração... Céus, você é tão linda.

MIRANDA - Ugh. Olha só, mesmo inconsciente, você é uma estúpida.

ANDREA - Chega mais perto, quero te contar um segredo.

Ela sussurra com um sorriso sacana e eu revirou meus olhos. Uma enfermeira abre a porta bruscamente e eu a olho deixando claro o meu descontentamento com a invasão, mas ela desvia o olhar para Andrea.

ENFERMEIRA - Srta. Sachs, você não deveria estar acordada.

ANDREA - Tenho que ficar acordada para dar atenção para a rainha.

ENFERMEIRA - Okay. Você precisa descansar.

Aproveitei sua distração e fugi do quarto. Essa foi a noite mais estranha da minha vida e eu não gosto do que está sendo desperto aqui dentro de mim.

 

°°°°°°°°

 

Próximo capítulo:

MIRANDA - Espere, espere, espere, espere. Você está partindo, Cassidy está indo embora, a assistente está indo embora. E eu vou ficar aqui com ela sozinha?

CAROLINE - O médico bonitão disse que vai mandar uma enfermeira pela manhã...


MIRANDA - Amanhã? Isso é dezenove horas a partir de agora...

________