Actions

Work Header

Alguém Tem Que Ceder

Chapter Text

MIRANDA

 

SALA DE JANTAR

 

Depois de preparar o jantar com a ajuda de Caroline, estamos reunidas sentadas à mesa. O esforço para não enforcar Andrea, que está sempre com aquele largo sorriso, é sobre-humano. Nos servimos de massa com lagosta, vinho e salada. Resolvi abrir uma concessão essa noite sobre a regra de não beber.

CAROLINE - Então, mãe, como está o novo cargo? Você está ficando feliz com isso?

MIRANDA - Oh, sim. Diminuí minha carga horária e ao mesmo tempo não deixo de ter controle sobre Runway.

CAROLINE - Achei que por ser membro do conselho você teria mais trabalho.

MIRANDA - Não, não. Eu não aceitaria se fosse assim. Preciso descansar mais.

Caroline serve Andrea com um largo sorriso no rosto, e acaricia rapidamente sua nuca com a ponta dos dedos. Elas se olham sorrindo e sinto dizer, mas estou ficando enjoada.

MIRANDA - Bem, o que acontece é que tenho cerca de 90% de funcionários incompetentes, e 10% de funcionários competentes, e até agora a parte competente ainda não entrou em ação.

CASSIDY - Okay, certo… isso significa demissão em massa. E seu livro, Andy, sobre o que é?

Todas nós paramos o que estamos fazendo e olhamos para ela, que fica um pouco hesitante em revelar isso.

ANDREA - Sobre? Bem, eu não sei exatamente, o que é um pouco problemático, mas até agora é sobre uma mulher divorciada, empresária, ela é tão nervosa, exagerada, controladora, sabe toda neurótica. . .

De repente as meninas olham para mim. Eu não sei dizer se Andrea está querendo brincar comigo ou se está falando sério. Acho que ela percebe a besteira que está falando pois ela começa a mudar a descrição de forma nervosa.

ANDREA -  Que também é incrivelmente sexy e adorável.  É uma comédia.

As meninas se olham e sorriem. Resolvo mudar de assunto antes que Andrea exploda de tão nervosa.

MIRANDA - Então, como vocês duas se conheceram? Ou melhor, se reencontraram.

CAROLINE - Eu estava assistindo uma palestra na faculdade e Andy foi a grande estrela da noite.

ANDREA - Ela ficou piscando para mim enquanto eu me apresentava, e no final, coloquei ela no coquetel exclusivo do pós-evento.

CAROLINE - Eu agi por interesse desde o início, sabia que ela me colocaria na festa que tinha vários escritores que adoro.

ANDREA - Ela me usou!

Cassidy e Caroline riem. Francamente, não achei graça.

MIRANDA - Já foi casada, Andrea?

Ela cresce os olhos assustada com a pergunta.

ANDREA - Não. De jeito nenhum.

MIRANDA - É? Por que essa aversão?

ANDREA - Algumas pessoas simplesmente não se encaixam no molde. E até agora...

MIRANDA - Você tem quebrado todos eles.

ANDREA - Exatamente. Também sou jovem demais para isso.

Ela se inclina para trás e coloca o braço em volta da cadeira de Caroline. Toda vez que ela toca em minha filha, meu estômago revira. Sério, o que ela quer
com minha menina?

CASSIDY - Espere um segundo, você não era noiva daquela cozinheira famosa?

ANDREA - Ela não era famosa na época.

CASSIDY - Não, acho que li um artigo sobre isso na New York Magazine. Acho que era Dating and Work, algo sobre as relações sobreviverem ao crescimento profissional.

MIRANDA - Espera. Eu li esse artigo. Foi você? Você já foi noiva de... Quem foi? Não Jane Collins... Espere… Carole Simon?

CASSIDY - Sim, foi alguém legal assim. Não Martha Samuels...

CAROLINE - Vocês poderiam apenas... perguntar para ela.

ANDREA - Não, isso é mais divertido. É como se eu não estivesse aqui.

CAROLINE - Andrea já foi noiva de Natalie Sawyer. Okay?

CASSIDY - Isso. Natalie Sawyer. Eu amo o restaurante dela.

MIRANDA - Estou impressionada.

ANDREA - Sim, mas não quero falar dela.

MIRANDA - Uhn-hum, término ruim?

ANDREA - Péssimo! Eu trabalhava na Runway ainda e... você sabe o que quero dizer.

MIRANDA - Na verdade, não.

ANDREA - Ela era extremamente controladora e possessiva, odiava meu trabalho e tinha ciúmes de… você. Enfim, eu não lamento o término, foi melhor assim.

Ciúmes de mim? Isso é interessante.

MIRANDA - Que mulher estúpida, por que ela teria ciúmes de mim?

ANDREA - Bom, eu era sua assistente, e você literalmente tomava conta de vinte e três horas do meu dia, a uma hora restante eu usava para dormir, então ela não era exatamente sua fã.

MIRANDA - Hum. Achei que ela havia ficado velha demais para você.

CAROLINE - Mãe!

MIRANDA - Convenhamos querida, é completamente estranho conceber que uma mulher como ela está com uma menina como você. O que é isso? Uma espécie de crise dos trinta?

ANDREA - Olha só, diferente de você, idade para mim são apenas números, eu não me coloco dentro de uma caixinha pré-fabricada em que só posso me relacionar com pessoas da minha idade. Afinal, a magia das relações está na troca e não no igual.

Eu não sei de onde ela tirou essa ousadia, mas tem que ter muita coragem em falar assim comigo quando estou com uma faca na mão.

MIRANDA - Você pode trocar, seja lá o que isso significa, com mulheres de idades mais próximas do que você, e não com meninas que poderiam ser sua filha.

ANDREA - Okay, quantos anos você acha que eu tenho? Porque nossa diferença é de apenas dez anos. Olha só, você empina seu nariz e lança seu olhar ameaçador querendo ser superior à todos, quando na verdade ignora que muitas mulheres da sua idade, se relacionam com mulheres mais jovens e são plenamente felizes. Quantos casais de homens mais velhos com mulheres mais novas você conhece? Quase todos não é? Você perde seu tempo os julgando por isso? Se ao invés de uma mulher, Carol namorasse um rapaz de trinta anos, você se incomodaria? E não estou querendo ofender...

Lanço meu olhar fulminante mais gélido, mas ela parece não temer. O que essa garota acha que está fazendo, entrando na minha casa e falando assim comigo? Ela tem sorte de estar com Caroline.

MIRANDA - Não... Tenho certeza que está me elogiando.

ANDREA - Isso foi... apenas a verdade.

CASSIDY - Não, espere. Esta é, na verdade, uma dinâmica muito fascinante - o que está acontecendo nesta mesa...

Oh, não. Ela com certeza vai falar algo inconveniente.

CAROLINE - Cassidy faz pesquisa em Estudos Femininos na Columbia. . .

Ela sussurra para Andrea, mas todas conseguimos ouvir.

ANDREA - Oh, então isso vai demorar.

CASSIDY - Não, vamos, escute, aqui está o problema para as mulheres. Veja o que temos aqui com você e minha mãe. Andy, você já deu a volta no quarteirão algumas vezes, certo? Você tem o quê? Por volta dos 30, nunca foi casada, independente, se empenha no crescimento profissional, é cobiçada... Você é um verdadeiro partido. Então, vamos para minha linda mãe aqui...

MIRANDA - Alguma chance de você parar por aqui?

A repreendo com o olhar, mas quando minha filha começa, é difícil parar.

CASSIDY - Vamos, isso é interessante. Quero dizer, olhe para ela, ela é tão realizada, a editora mais bem-sucedida do país. Ela tem mais de cinquenta anos, é divorciada e ainda fica sentada noite após noite, após noite trabalhando em casa porque os caras disponíveis da idade dela querem garotinhas como nós três. Então toda a cena de namoro com mais de cinquenta anos é totalmente voltada para homens deixando as mulheres mais velhas de fora e, como resultado, torna as mulheres mais velhas cada vez mais produtivas e mais interessantes, o que, por sua vez, as torna ainda menos desejáveis porque, como todas sabemos - os homens, especialmente os homens mais velhos, são ameaçados e morrem de medo de mulheres interessantes e talentosas. É tão claro. Mas se a gente supor por um momento que a mamãe fosse lésbica ou bissexual…

MIRANDA - Meu Deus, pare com isso!

CASSIDY - Você está me dizendo que pessoas como você teriam mais chances de querer pessoas como ela do que como eu ou Caroline? Se o que você diz é verdade, significa que as mulheres mais interessantes e talentosas são mais atraentes para outras mulheres, ou seja, mulheres que se relacionam com mulheres ficam com o melhor da vida.

Caroline esconde o rosto nas mãos, morrendo de vergonha.

ANDREA - Olha só, isso não é uma pesquisa científica com dados irrefutáveis, okay? O que eu sei, é que no meu convívio com mulheres que gostam de mulheres, a maioria delas se sentem mais atraídas por mulheres mais velhas.

CASSIDY - Tá, mas e você?

ANDREA - O que tem eu?

CASSIDY - Mamãe ou Carol?

MIRANDA/CAROLINE - CASSIDY!!!

 

COZINHA

 

Depois daquele momento constrangedor, Cassidy e eu tiramos os pratos da mesa e na cozinha pude finalmente perguntar o que diabos deu nela.

MIRANDA - Você está possuída? Como você pôde dizer aquelas coisas?

CASSIDY - Parecia tão óbvio para mim. Seria interessante fazer uma pesquisa sobre isso, a diferença de interesse entre homens que gostam de mulheres e mulheres que gostam de mulheres.

MIRANDA - Então você sabe o quê? Faça uma dissertação sobre isso, não anuncie para o mundo que fico noite após noite após noite e, aliás, uma noite após noite teria sido o suficiente. Você já percebeu que eu fico isolada como parte do meu trabalho? Por que você acha que me casei com o seu pai? Ele foi o único homem que trabalhava em casa que conheci, então ele não se incomodava com meu distanciamento. De qualquer forma, gosto de ficar em casa trabalhando e gosto desse momento da minha vida. Por que eu tenho que me defender? Eu fui casada por sete anos e depois por mais três anos. Eu já esgotei minha cota disso, não preciso justificar o porquê de estar solteira.

Caroline entra carregando mais pratos.

CAROLINE - Que raio foi aquilo?

CASSIDY - Desculpe, pensei que estava no caminho certo.

MIRANDA - Querida, o que está fazendo com essa mulher? Ela não é adequada, e fica… objetivando você.

CAROLINE - Ela é divertida.

MIRANDA - Ela é divertida? Como ela é divertida? Ela é tipo... errada.

CAROLINE - Errada pode ser divertido, mãe.

MIRANDA - Não, isso está errado.

CAROLINE - Podemos não fazer isso agora? Na verdade, ela é incrivelmente inteligente e fascinante e, se você tivesse conversado com ela sobre algo diferente de seu estado civil, teria descoberto o quão inteligente ela é. Ela possui cerca de três trabalhos diferentes…

MIRANDA - O que significa que ela possui três trabalhos diferentes? Ela não pode se comprometer, é isso que significa, tanto que ela me abandonou em Paris.

CASSIDY - Abandonou Runway.

MIRANDA - O quê?

CASSIDY - Você quis dizer que ela abandonou Runway em Paris.

MIRANDA - Que seja! A questão é que ela não se compromete com nada.

CAROLINE - Sim, isso eu entendo. Enfim, ela disse que achava que vocês duas eram muito espontâneas e legais e depois disse que iria embora assim que o sol nascesse.

MIRANDA - Por quê? O carro dela não tem faróis?

CAROLINE - Urgh, ela está sem carro, a assistente irá trazer. Boa noite para vocês.

Puxo minha filha rapidamente para um abraço e ela retribui.

MIRANDA - Espera. Não tenho o direito de agir assim. Ele é sua... amiga. Eu deveria ter alguma paciência e tratá-la melhor, como uma convidada sua. Desculpe. Eu te amo.

CAROLINE - Eu te amo mais.

Dou vários beijos rápidos em sua bochecha e sorrimos uma para outra. Ela sai da cozinha, provavelmente para seu quarto.

CASSIDY - Sem chance dela ter dito que éramos legais.

MIRANDA - Por favor, nenhuma chance.

De repente, ouvimos uma música alta vinda do quarto de Caroline.

CASSIDY - O que elas estão ouvindo?

MIRANDA - Eu não me importo… Oh, é Marvin Gaye. . .

CASSIDY (cantando)
"Then, c'mon, oh, c'mon
Let's get it on
Ah, baby, let's get it on
Let's love, baby"
Vamos lá, mãe! Se anime!

Ela começa a dançar e eu apenas a olho irritada, lavando os pratos com a força do meu ódio.

MIRANDA - Eu sei que ela nunca a verá depois deste fim de semana. Ela também não gosta de se comprometer.

CASSIDY - Todo essa sua raiva parece amor velado.

MIRANDA - Você perdeu o juízo?

CASSIDY - Ah, vamos lá. Você não precisa mentir para mim, não sou ingênua como a Carol.

MIRANDA - O que você quer dizer com isso, adorável e inconveniente filha?

CASSIDY - Eu vejo como você olha para ela. Andy é inteligente, simpática, doce e a idade não é o problema aqui. O problema é que é a Andrea, sua assistente que mais se destacou, teve sua atenção e depois foi embora.

Eu não sei como ela consegue tirar essas conclusões tão... Certas. Cassidy tem mais de mim do que eu possa imaginar, isso não significa que eu vá admitir qualquer teoria.

MIRANDA - Okay, você realmente está fora de sua mente se acha que eu posso sentir alguma coisa além de repulsa por aquela garota intragável.

Cassidy aperta os olhos para mim.

MIRANDA - Quando ela trabalhava para mim, eu até cheguei a achar ela...

Ouvimos os risos altos de Caroline e olhamos para o teto. Céus! Eu sou obrigada a ouvir a intimidade de minha filha?

Inferno!

CASSIDY - Ela parece divertida.

Risadas mais e mais altas e eu reviro meus olhos.

CASSIDY - Admita, ela tem algum charme e a senhora até gosta, só é orgulhosa demais para...

Agora ouvimos um barulho estranho e um grito de Caroline, eu estou quase chorando de desespero.

MIRANDA - Oh, isso é loucura... Eu não posso ficar ouvindo isso.

Cubro meus ouvidos com as mãos e ouvimos Caroline gritar mais alto.

"MÃÃÃÃE!!!"

MIRANDA - Ela disse "mãe"?

Subimos a escada correndo. Juro que se Andrea tirou um fio de cabelo da minha filha, eu vou arrancar a cabeça dela, e os braços, e as pernas, e seja lá o que for aquilo que ela tem na calcinha. Entramos no quarto e a primeira coisa que vemos é Caroline em pé, chorando, apontando para um ponto no chão, ao lado da cama.

Demos a volta e encontramos Andrea no chão, de bruços. Pelo menos elas estão vestidas. Me abaixo e a viro lentamente, ela está meio grogue com um corte sangrando na testa.

CAROLINE - Estávamos brincando e ela acabou caindo e batendo a cabeça na mesa de cabeceira. Ela vai morrer?

Andrea abre minimamente os olhos e me vê. Ela abre um largo sorriso.

ANDREA - Eu morri e estou no céu?

MIRANDA - Mantenha-se acordada!

ANDREA - Acho que estou vendo um anjo.

Ela diz antes de desmaiar completamente.

MIRANDA - Ligue para o 911... diga-lhes para mandarem uma ambulância...

Elas hesitam, continuam paradas.

MIRANDA - Cassidy! Agora!

Ela finalmente se move e eu aplico leves tapas na face de Andrea para ela acordar.

MIRANDA - Acorde! Não morra na minha casa, por favor.

 

°°°°°°°°

 

Próximo Capítulo:

ANDREA - Oh Gosh, eu amo sua blusa, deixa seus seios tão...

MIRANDA - Okay, não continue… vejo que eles te deram um monte de drogas.

ANDREA - Miranda, eu sei que por baixo da rainha de gelo, existe uma mulher muito sensível e caridosa…

MIRANDA - Você está totalmente errada.

ANDREA - ...que vai ligar para Love me tirar daqui. 

Ela não olhou em meus olhos por sequer um segundo, seu olhar não sai do meu decote.

MIRANDA - Primeiro, meu rosto é aqui em cima, segundo, você está completamente fora de si, ou não agiria assim comigo. Acha que vai conseguir sair daqui dopada desse jeito?